Cineclube Avalovara exibe ELES NÃO USAM BLACK-TIE

Seguindo com nossa proposta de pensar o mundo e as políticas sociais através do cinema, no próximo dia 25 de março vamos exibir e discutir o filme “Eles não Usam Black-tie” (Leon Hirszman, 1981), uma joia do cinema nacional que chegou a receber o Prêmio Especial do Júri do Festival de Cannes. O longa-metragem — baseado em peça homônima de Gianfrancesco Guarnieri, que também atua no filme (Otávio) — explora os conflitos e anseios da classe trabalhadora nos anos finais da ditadura militar no Brasil.

“Eles não Usam Black-tie” propõe uma reflexão — importante e atualíssima — sobre as esperanças (e desesperanças), a importância das ações coletivas e os medos que circundam a luta pela sobrevivência num país como o nosso.

Vamos de novo unir nossas forças? Todas as pessoas estão convidadas. Divulguem!

O Cineclube Avalovara é um projeto aprovado no 10º Edital do Programa de Desenvolvimento da Produção Audiovisual de Pernambuco (Funcultura 2016 – 2017), e tem apoio do Instituto Histórico e Geográfico de Vitória de Santo Antão (IHGVSA) e da Federação Pernambucana de Cineclubes (Fepec).

SINOPSE
Tião, jovem operário, namora Maria, colega de fábrica. Quando toma conhecimento de que ela está grávida, resolve marcar o casamento. Mas as dificuldades financeiras do casal são imensas. Nisso eclode uma greve. Otávio, o pai de Tião, veterano líder sindical, que passou alguns anos na cadeia devido à militância política reprimida pela ditadura militar, adere à greve mesmo contrariado com a decisão da categoria, que lhe parece precipitada. Participando dos piquetes em frente à fábrica entra em choque com a polícia, é espancado e preso. O filho, indiferente ao drama do pai e dos colegas, fura a greve. Individualista, credita à militância do pai a miséria em que sempre viveram. O conflito explode no interior da família.

SERVIÇO
Cineclube Avalovara exibe ELES NÃO USAM BLACK-TIE
Classificação indicativa: 14 anos
Data e hora: 25/03/2018 (dom), às 17h
Local: Silogeu do IHGVSA
Entrada Franca

Link para evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/184304622349301/

 
 
 
Atenciosamente,

Equipe do Cineclube Avalovara

Facebook: facebook.com/cineavalovara

Instagram: @cineavalovara
Anúncios

NOTA DE ESCLARECIMENTO DO MOVIMENTO POLÍTICO CULTURAL JUREMA PRETA 


O movimento político – cultural JUREMA PRETA, vem por meio desta, esclarecer a população do município de Pesqueira, a interrupção do evento O SOL NÃO NASCE QUADRADO, sessão cineclubista, marcada para o dia de 17 de Março de 2018, por conta da operação BAR SEGURO, executada pela SDS – PMPE – DINTER I – 8° CIPM.

Ainda quando terminávamos de organizar o espaço para dar inicio a atividade, fomos surpreendidos pela visita da PMPE, acompanhados do corpo de bombeiros, que solicitava alvará para funcionamento com as medidas de segurança, tais como, extintores e portões de saída de emergência entre outros, apresentaram a operação “BAR SEGURO”, e ainda que tenhamos argumentado que o espaço não era um BAR, mas uma ONG, instituição pública de direito privado que compartilha a sua sede, com o movimento JUREMA PRETA, que mantém atualmente sessões em caráter regular, executando o projeto Cineclube JUREMA PRETA, aprovado no 9° edital do FUNCULTURA da FUNDARPE, fomos interditados, por alegação de não cumprimento aos requisitos legais referentes as questões de segurança para espaços de concentração de pessoas. Nos colocando contrários as medidas confusas e desproporcionais, tendo em vista o bloqueio imediato do espaço de realização de atividades culturais, sem nos dar tempo hábil à regulamentação, e cumprindo os requisitos do edital em relação as exibições, a atividade foi realizada no espaço externo do ambiente, contando com a presença de além da organização e artistas, um grupo de jovens do município. A intervenção limitou o uso do espaço da nossa sede para execução da programação, nos forçando a mudar de imediato a dinâmica da atividade para cumprir o planejamento, e manter a programação já anteriormente divulgada, na ocasião, aconteceu uma exibição cinematográfica, seguida de debate, intervenção teatral e musical. Atuando no município há oito anos, o movimento político – cultural JUREMA PRETA, se posiciona contrário a interdição, por entender que um espaço de atividades culturais, de bens de natureza material e imaterial, coletivo, que trabalha com várias formas de expressão, não pode ser confundido com um BAR, por que não atuamos nesse ramo, todas as atividades comerciais desenvolvidas no espaço são para manter as instituições que ali são sediadas, pois, como movimento e para promover nossas ações, precisamos de um fundo coletivo que financie o trabalho. Desta forma, nos colocamos a disposição em relação as quaisquer dúvidas e ressaltamos a importância da criação do debate em volta dos espaços de atividades culturais no município, entre aqueles que o fazem e aqueles que inspecionam, criando talvez a possibilidade de uma relação harmoniosa de comum respeito, gostaríamos também de deixar claro que, a fotografia com a foto de um dos nossos companheiros rodando em grupos das redes e mídias sociais não é uma ação acertada, pois devemos preservar a identidade e o direito de imagem da sociedade civil, pedindo encarecidamente que essas fotografias sejam apagadas de imediato por quem as tenha sido publicadas.

Sem mais delongas,
Coletivo JUREMA PRETA
Pesqueira, 19 de Março de 2018.

JURI FEPEC RECIFEST 2017

O prêmio criado pela Federação Pernambucana de Cineclubes – FEPEC, tem o objetivo de referendar  filmes que estimulem o debate e a reflexão e que se destaquem nas suas propostas de  narrativas em que conteúdos e estéticas sejam levados em consideração assim como respeitando a composição da equipe – representatividade étnica racial e de diversidade de gênero. Está presente nos principais festivais do estado e é considerado de grande valia para os que buscam realizar filmes capazes de sensibilizar e estimular o senso crítico dxs espectadorxs. O/s filmes/s vencedor/es recebe/m  uma carta oficial elaborada pelxs juradxs com a justificativa da premiação e também um convite para exibição do mesmo em cineclubes filiados à FEPEC.

COMPOSIÇÃO:

Claudia Silva de Oliveira (Claudia Oliveira) – Cineclube Avalovara/ Vitória de Santo Antão

Currículo resumido:

Cineclubista, professora e ativista cultural. Integra a equipe do Cineclube Avalovara, em Vitória/PE, e do movimento artístico-cultural Coletivo Galileia; participou da produção da I Mostra de Cinema da Vitória de Santo Antão.

 

*********

Geneseli Dias de Oliveira Albuquerque (Geneseli Dias)  – Cineclube Avalovara/ Vitoria de Santo Antão 

Currículo resumido:

Cineclubista, integrante do Cineclube Avalovara, localizado em Vitória de Santo Antão. Graduanda em Ciências Sociais, é instrutora com turmas também inclusivas que qualifica jovens pelo Programa de Aprendizagem regido pela Lei da Aprendizagem.

 

*********

Patrícia Roberta da Silva Araújo  (Patrícia Araújo)  – Cineclube Avalovara/ Vitoria de Santo Antão

Currículo resumido:

Bacharela em Ciências Sociais pela UFPE e atualmente mestranda em Antropologia pela mesma instituição. Colaboradora do Cineclube Avalovara e da Coordenação da Mostra de Cinema da Vitória de Santo Antão. Entusiasta nos estudos sobre fotografia e produção audiovisual.

Fazendo Milagres Cineclube e Ficine lançam chamada para designers negras

O Fazendo Milagres Cineclube e o Ficine – Fórum Itinerante de Cinema Negro estão selecionando uma designer negra para criar a identidade visual e as peças de divulgação (cartaz, folder, banner, catálogo) do projeto “Baobácine – Mostra de Filmes Africanos do Recife”, aprovado no Funcultura Audiovisual 2016/2017.

Trata-se de uma mostra de filmes africanos clássicos e contemporâneos, raramente exibidos em circuitos comerciais, ausentes até mesmo no circuito alternativo de cinema. Além das sessões, a mostra contará com um minicurso de dois dias sobre a trajetória do cinema africano, realizadores/as e obras mais representativas e também com uma roda de diálogo com pesquisadores/as, realizadores/as sobre as questões temáticas, estéticas, políticas e econômicas que atingem a cinematografia africana, com ênfase nas dimensões contemporâneas. A Mostra Baobácine será gratuita, terá quatro dias de duração e será realizada em maio de 2018.

Esta convocatória ficará aberta até o dia 11 de novembro de 2017. Pedimos às interessadas que enviem seus currículos e portfólios para o e-mail mostrabaobacine@gmail.com

O resultado será divulgado em 25 de novembro de 2017, 15 dias após o encerramento das inscrições.

Axé para todes,

A equipe da Mostra Baobácine.

Juri cineclubista no X Janela Internacional de Cinema do Recife – 2017

Juri cineclubista no Janela Internacional de Cinema do Recife – 2017


O prêmio criado pela Federação Pernambucana de Cineclubes – FEPEC, tem o objetivo de referendar  filmes que estimulem o debate e a reflexão e que se destaquem nas suas propostas de  narrativas em que conteúdos e estéticas sejam levados em consideração assim como respeitando a composição da equipe – representatividade étnica racial e de diversidade de gênero. Está presente nos principais festivais do estado e é considerado de grande valia para os que buscam realizar filmes capazes de sensibilizar e estimular o senso crítico dxs espectadorxs. O/s filmes/s vencedor/es recebe/m  uma carta oficial elaborada pelxs juradxs com a justificativa da premiação e também um convite para exibição do mesmo em cineclubes filiados à FEPEC.

Composição:

 

Iris Regina Gomes – Cineclube Bamako/ Recife

Contatos: cel.: 81. 9.8809-8365 / Email: irisregin@gmail.com

Currículo resumido:

Formada em Artes Visuais, atuante na ârea de designer gráfico, educadora popular, realizadora audiovisual e cineclubista integrante do cineclube bamako. Também é militante no Cabelaço PE, um coletivo de mulheres negra.

******************

Natália Lopes – Fazendo Milagres Cineclube/ Olinda

Contatos: cel.: 81. 99792-3758/ Email: natalopes@gmail.com

Currículo resumido:

Atua na área do audiovisual na perspectiva do direito humano à comunicação desde 2004. É comunicadora social, especialista em cultura pernambucana e mestre em Comunicação pela UFPE. Trabalhou junto a coletivos juvenis como o Centro de Comunicação e Juventudes (CCJ, 2008), Plataforma de Comunicação Amaro Branco (2011) e Ficcionalizar (2016);  tvs pública e comunitárias (TV Viva, TV Amaro Branco e TV Universitária de PE), além de coordenar e participar de alguns outros projetos em cinema e educação. Iniciou atividade cineclubista em 2008, com o Cine da Casa, no CCJ. É co-fundadora do Cineclube da Laia, em Camaragibe e já participou também da coordenação do Cineclube Coliseu, do Sesc Casa Amarela. Além disso, é compositora e cantora da banda Casas Populares da BR-232 (2005), integrante do Coletivo Cabelaço de Mulheres Negras (2012) e do Fazendo Milagres Cineclube (2012), todos estes, grupos políticos-culturais com atuação a partir de Olinda, Pernambuco, sua cidade-residência.

******************

Pietro de Queiroz/ Cineclube LECgeo – Recife

Contatos: cel.:  81. 997555478/ e-mail

Currículo resumido:

Produtor cultural e pesquisador. Participa enquanto curador do Cineclube LECgeo desde sua fundação em 2011. Participou como júri de festivais em Pernambuco representado a Federação Pernambucana de Cineclubes – FEPEC. Recentemente defendeu dissertação de mestrado sobre a Geografia do Cinema do Recife. Realiza pesquisa sobre as relações entre geografia e cinema com foco na produção de cinema de Pernambuco.