FINCAR | ​ Festival Internacional de Cinema de Realizadoras tem sua primeira edição no Recife

Capa fincar

Festival Internacional de Cinema de Realizadoras tem sua primeira edição no Recife

Com direção artística de Maria Cardozo e curadoria de Mariana Porto, Ana Carvalho, Sabrina Tenório e Janaína Oliveira,
e
enfoque sobre o gênero na realização cinematográfica, o evento exibe
30
filmes de 1
9
países, em diferentes formatos, todos produzidos por
realizadoras
e levanta a discussão sobre
um cinema com mulheres
no mundo
 

De 06 a 09 de julho, a cidade do Recife recebe a primeira edição do FINCAR – Festival Internacional de Cinema de Realizadoras.

 

Uma produção da Orquestra Cinema Estúdios e Vilarejo Filmes, viabilizada pelo Governo de Pernambuco através do Funcultura Audiovisual, o FINCAR tem como objetivo fomentar o debate em torno da presença da mulher no cinema, propondo uma investigação do processo criativo audiovisual de realizadoras e apresenta um panorama dessas produções no mundo. Com cerca de 2.400 filmes inscritos, a curadoria do festival selecionou e apresenta 30 obras, entre curtas, médias e longas-metragens, de dezenove países, além de rodas de diálogos, debates e cineclube, ocupando durante quatro dias o Cinema São Luiz, o Paço do Frevo e a sede da Aliança Francesa na capital pernambucana.

 

Ocupar os espaços com arte, política, debates e com mulheres é a proposta central da equipe idealizadora do evento. “O FINCAR surge em torno do debate sobre a mulher e o cinema, e sua primeira edição acontece dentro do cenário político de perdas de direitos e avanço do conservadorismo no Brasil. Assim, foi se revelando o conceito central da curadoria este ano: Resistência. Corpos femininos em resistência de ser, olhar e lutar”, conta Maria Cardozo, diretora artística e curadora do festival. “Os filmes trazem na sua maneira diferentes formas de resistir. Seja de forma urgente, performática, documental, experimental, evocando memórias ou construindo personagens femininas complexas. Ocuparemos um cinema de rua com curtas, médias e longas-metragens feito por realizadoras”, continua.

 

As sessões do Festival Internacional de Cinema de Realizadores acontecem no icônico Cinema São Luiz, no Centro do Recife, sempre a partir das 18h. Além das exibições, o tradicional cinema de rua recebe, em todos os dias de evento, debates com realizadoras e curadora após as sessões, que terão seus ingressos comercializados com meia-entrada promocional para todosno valor de R$ 3.


Para selecionar as obras, entre os cerca de 2400 trabalhos inscritos – todos de realizadoras mulheres, entre obras nacionais e internacionais -, além da idealizadora Maria Cardozo, a curadoria do FINCAR foi composta pela pesquisadora, realizadora e membro do conselho gestor do Vídeo nas Aldeias Ana Carvalho; a cineasta e professora de Cinema da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Mariana Porto; a produtora, professora universitária e pesquisadora Sabrina Tenório; com a assistência das estudantes de cinema da UFPE Hellen Laílla, Hannah Cunha, Tatiana Quintero, Thayná Torella, Ivich Barret e Maria Alencar.


“Devido ao grande número de inscritos, com obras de 111 países, precisamos aumentar o corpo da curadoria. As assistentes de curadoria são todas alunas do curso de cinema da UFPE e essa iniciativa faz parte da ideia de compartilhar a curadoria como um momento de troca, reflexão e debate”, explica Cardozo. O festival conta ainda com a participação da pesquisadora e coordenadora do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígena do Instituto Federal do Rio de Janeiro, Janaína Oliveira, na curadoria da Mostra FINCAR-FICINE.


Os filmes selecionados para os quatro dias de festival são The Arcadian Girl (CAN), de Gabirelle Provost; The Internacional (ARG), de Tatiana Mazú; Outside (BRA), de Letícia Bina; Kbela (BRA), de Yasmin Thayná; Retratos de Identificação (BRA), de Anita Leandro; A Realidade não é Impossível (AUS), de Brigit Sholin; Mulher na Lua(POL), de Kasia Prus; Quiet Mujo (BIH), de Ursula Meier; Olia (PRY), de Tania Cattebeke; Besieged Bread (SIR), de Soudade Kaadan; A Febre (FRA/MAR), de Safia Benhaim; Catatumbarí (VEN), de Oriana Contreras; Extraterrestre (MEX), de Victoria Karmín; Exília (BRA), de Renata Claus; Série A Mulher e a Terra (GBR), de Rosanna Wan; Quem matou Eloah? (BRA), de Lívia Perez; Taego Awa (BRA), de Marcela e Henrique Borela;Mães (FRA), de Maïmouna Doucouré; Irmã Oyo (COG), de Monique Mbeka Phoba; Raízes (UGA), de Mukundwa Katuliiba; Nossa Estrangeira (BFA), de Sarah Bouyain; Halahaches (CHI), de Alejandra Jaramillo; Entre Andares(BRA), Aline van der Linden e Marina Maciel; Dias de Saudável Alegria (CUB), de Claudia Muñiz Pérez; Corpo Estrangeiro (POL), Marta Magnuska; Meio Fio (BRA), Denise Vieira; A Mulher dos Cães (ARG), Laura Citarella e Verónica Llinás.


O festival conta com importantes parcerias com a Federação Pernambucana de Cineclubes (Fepec), Fórum Itinerante de Cinema Negro (Ficine), coletivo feminista Deixa Ela em PazPaço do FrevoAliança Francesa e o grupo Mulheres no Audiovisual PE. A colaboração entre o FINCAR e a Federação Pernambucana de Cineclubes proporciona a realização do Circuito Cineclubista FINCAR-FEPEC, que pretende exibir curtas-metragens selecionados no Circuito Cineclubista pelo Estado de Pernambuco. Através de formulário de inscrição disponibilizado no site da Fepec, qualquer cineclube do Estado pode solicitar parceria para integrar este circuito. “Apesar do festival ser sediado no Recife, se faz necessária a descentralização das exibições e consequentemente dos debates que os filmes levantam. Isso vem ocorrer justamente a partir desta parceria com a Fepec. A ideia é levar as produções para outros circuitos exibidores além da Região Metropolitana do Recife”, explica Cardozo.


 

MOSTRA FINCAR-FICINE – Em parceria com a Aliança Francesa e o Fórum Itinerante de Cinema Negro, o FINCAR promove a Mostra FINCAR-FICINE. Com curadoria de Janaína Oliveira, pesquisadora e coordenadora do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígena do Instituto Federal do Rio de Janeiro, a mostra promove a exibição de filmes de realizadoras africanas. As sessões da mostra possuem entrada gratuita e acontecem no último dia do evento, a partir das 14h, no auditório da Aliança Francesa do Recife, localizado no bairro do Derby. As sessões serão seguidas por debate com a curadora Janaína Oliveira. 


RODAS DE DIÁLOGOS – Entendendo o festival de cinema como espaço de exibição de obras e debates, o FINCAR conta na sua programação com Rodas de Diálogos. Dando continuidade a parceria com o Ficine, surge a roda Cinema Negro no Feminino que terá como convidadas, além da própria Janaína Oliveira, a realizadora Yasmin Thayná (RJ), a atriz e artista visual Cíntia Lima (PE) e a realizadora Juliana Lima (PE).

 

O Ficine é composto por historiadores, antropólogos e cineastas brasileiros e cabo-verdianos, que desde 2014 vêm realizando atividades no Brasil e no exterior. O Fórum propõe a reflexão sobre as construções de identidades e subjetividades na diáspora e na África, e a formação qualificada de público para debate sobre o Cinema Negro. O debate acontece no segundo dia, quinta-feira (07), no Paço do Frevo, às 14h, e tem entrada gratuita sujeita a lotação do espaço.

Continuando os debates, o Paço do Frevo recebe também a Roda de Diálogo Corpos Femininos no Cinema, na sexta-feira (08), no mesmo horário: 14h. Propondo o debate sobre a hierarquia da cadeia cinematográfica relacionada à não valorização das posições ocupadas pelas mulheres na mesma, a roda conta com a participação da pesquisadora da UERN Daiany Dantas; da representante do coletivo feminista audiovisual Quebrando Vidraças Natália Lopesda crítica de cinema Carol Almeida; e da realizadora Andréa Ferraz.


 

MULHERES NO AUDIO VISUAL PE – Outra ação afirmativa do festival é a sessão especial Mulheres no Audiovisual PE, que acontece no dia 07 de julho, no Cinema São Luiz. Realizado em parceria com o coletivo homônimo (facebook.com/mulheresnoaudiovisualpe/), que reúne dezenas de cineastas pernambucanas no movimento de luta por igualdade e emponderamento das mulheres no audiovisual, a sessão exibe as obras produzidas pelo coletivo e promove debate com as realizadoras após a sessão. 

SERVIÇO

FINCAR – Festival Internacional de Cinema de Realizadoras

Quando: De 06 à 09 de julho 

Onde: Cinema São Luiz (Rua da Aurora, 175,­ Boa Vista), Paço do Frevo (Praça do Arsenal da Marinha, s/nº, Bairro do Recife) e Aliança Francesa (Rua Amaro Bezerra, 466, Derby)

Quanto: Cinema São Luiz: meia-entrada promocional para todos a R$ 3; Praça do Arsenal e Aliança Francesa: acesso gratuito. 

Informações:  (81) 3184-3157 e http://fincar.com.br/.


Assessoria de comunicação: Trago Boa Notícia

(81) 3032.4081 | www.tragoboanoticia.com.br

Aline Feitosa | (81) 98131.0721 | aline@tragoboanoticia.com.br

Alef Pontes | (81) 99636.2792 | alef@tragoboanoticia.com.br

André Soares | (81) 99925.3993 | andre@tragoboanoticia.com.br

Esta publicação foi postada por FEPEC.

Um pensamento sobre “FINCAR | ​ Festival Internacional de Cinema de Realizadoras tem sua primeira edição no Recife

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: